Já identificou seu material escolar? Nós podemos te ajudar ;-)

Atividades para crianças: descubra se o seu filho está sobrecarregado

Na sociedade atual, é cada vez mais comum vermos crianças envolvidas em atividades extracurriculares, como esportes, aulas de música, dança, idiomas, entre outras. Embora essas atividades possam oferecer diversos benefícios para o desenvolvimento dos pequenos, é fundamental encontrar um equilíbrio.  

Afinal, queremos que nossos filhos aproveitem ao máximo suas novas experiências, se desenvolvam plenamente e se divirtam no processo. Mas, para isso acontecer é necessário compreender quais são as melhores opções de atividades para cada criança, incluindo-as no dia a dia sem que isso resulte em estresse, exaustão ou até mesmo um comprometimento de outras áreas importantes, como o desempenho escolar. 

No conteúdo de hoje apresentamos uma reflexão sobre como ser mais assertivo com relação ao volume de atividades para crianças. Desse modo, vamos explorar como identificar possíveis sinais de sobrecarga e como criar uma rotina que atenda às necessidades de nossos filhos, respeitando seu ritmo e promovendo um desenvolvimento saudável e feliz. 

Nem todas as atividades são para todas as crianças 

Somos redundantes em dizer por aqui que cada criança é única, mas isso é algo que gostamos de ressaltar como uma lembrança constante de que cada uma possui suas próprias características, interesses e limitações.  

Antes de matricular seu filho em várias atividades, leve em consideração o que você já sabe sobre seus gostos, necessidades e preferências. Na mídia, surgem muitas práticas propagadas como essenciais para os pequenos, virando moda. Porém, os pais até podem gostar da proposta, mas seus filhos não. 

A maioria das crianças são cheias de energia e muitos pais acreditam que direcionar todo esse gás para uma diversidade de ocupações é a melhor solução. Na prática, a curiosidade inicial pode fazer com que a criança aceite bem uma nova atividade no primeiro momento, mas depois perca o interesse simplesmente por não se identificar com àquela prática. 

Desse modo, não imponha uma carga de obrigações desnecessárias a um serzinho tão jovem apenas porque outras crianças estão fazendo o mesmo. Respeite acima de tudo o ritmo e os desejos do seu filho, sem julgá-los ou criticá-los. Vale lembrar da famigerada máxima: todo mundo está no “hype”, mas seu filho não é todo mundo.  

Comunique-se abertamente com seu filho sobre sua rotina e obrigações 

 Considerando as atividades para crianças que seu filho já frequenta, busque semanalmente um tempo para conversar com ele sobre sua rotina e agenda de compromissos. A intenção é compreender como ele se sente em relação às atividades e perceber sua evolução em cada uma delas. 

Entenda se ele está se divertindo, aprendendo de verdade e, sobretudo, se está confortável com a quantidade de obrigações. Preste bastante atenção às respostas e esteja disponível para realizar ajustes e até exclusões se necessário. Lembre-se de que a voz da própria criança é muito importante na construção de sua jornada pessoal.  

Além disso, a faixa etária é determinante para algumas coisas, pois existem atividades que podem ser iniciadas ou retomadas quando a criança estiver maior, sem que isso traga prejuízos ao seu desenvolvimento. A vida é feita de etapas e é essencial que as crianças passem por elas paulatinamente. 

Atividades para crianças devem envolver apenas uma pequena parcela do tempo 

Ter tempo livre é primordial para o desenvolvimento infantil, seja para estar em atividades extracurriculares ou para simplesmente contemplar o ócio. Afinal, brincar livremente também permite que os pequenos usem sua imaginação, desenvolvam habilidades sociais e emocionais, além de estimular a criatividade. 

Ainda nesse contexto, ter a liberdade de não fazer nada, inclusive sentindo tédio, também é importante para nossas crianças. Isso porque o excesso de estímulos é prejudicial e o que desejamos é equilíbrio.

Dessa forma, certifique-se de que seu filho tenha muitos momentos de lazer e brincadeiras não estruturadas, deixando atividades extras para uma menor parcela de tempo. 

Atente-se para o fato de que as crianças devem aproveitar todas as fases da infância da maneira mais plena possível, de modo que a responsabilidade com compromissos evolua ao mesmo tempo que ela. Na dúvida, considere o seguinte: quanto menor for o seu filho, menos exigência e pressão. 

Mantenha uma rotina equilibrada 

Organize uma rotina que permita um equilíbrio saudável entre as atividades escolares, as extracurriculares e o tempo em família. É primordial que seu filho tenha tempo para descansar, estudar, se divertir e se relacionar com seus familiares. 

Uma rotina bem estruturada, feita exclusivamente para a criança, evitará a sobrecarga e garantirá seu bem-estar emocional e físico. 

Atenção aos sinais de estresse e fadiga 

Crianças sobrecarregadas geralmente apresentam sinais evidentes de estresse e fadiga. Perceba as mudanças no comportamento, como irritabilidade, choro frequente, dificuldade de concentração, falta ou excesso de apetite, problemas de sono e até mesmo dores de cabeça ou estômago. 

Esses sintomas podem ser sutis ou bem visíveis, depende de cada criança, mas sempre vão indicar que a rotina de atividades deve ser observada.

Atividades para crianças e desempenho escolar 

Uma das principais consequências de sobrecarregar uma criança com atividades demais é o impacto negativo no seu desempenho escolar. Dessa forma, atenha-se a possíveis quedas no rendimento acadêmico, falta de foco e dificuldades de aprendizagem

Se você perceber que seu filho está tendo dificuldades para conciliar as atividades extracurriculares com a parte acadêmica, é hora de reavaliar a carga de obrigações e priorizar o tempo dedicado aos estudos. 

Isso porque, como já deve saber, a escola desempenha um papel fundamental no desenvolvimento da criança e deve ser prioridade sempre. Além de estudar nas dependências escolares, a criança precisa ter tempo suficiente para realizar suas tarefas em casa, além de revisar o conteúdo para garantir boas notas.  

Porém, vale ressaltar que o sucesso escolar não se resume apenas às notas, mas também ao bem-estar emocional da criança. Excessos de atividades podem causar ansiedade, afetando o processamento do aprendizado e a saúde mental de seu filho. Portanto, esteja atento não apenas ao desempenho escolar, mas também ao estado emocional da criança. 

E quando o problema é o excesso de interesse por determinada atividade?

Pode acontecer do seu filho gostar tanto de uma atividade que passe a se concentrar quase exclusivamente nela, deixando por conta própria o desempenho escolar em segundo plano. Nesse caso, explicar quais são as prioridades é o primeiro passo. 

Na sequência, elaborem juntos uma rotina que coloque em prática o que foi conversado: demandas escolares vem antes de qualquer outra atividade. Com o tempo, a criança tende a compreender perfeitamente a importância da educação para seu desenvolvimento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading