Bolsinhas, Sacos, Estojos e Organizadores com 20% off! Até 23/06. Use o cupom amo20

 7 brincadeiras para crianças autistas

Oferecer atividades para crianças autistas exige uma abordagem gentil e personalizada. Cada criança é única, com sua maneira própria de aprender e se divertir. Por isso, é essencial adaptar as atividades para atender às necessidades individuais de cada uma.

É sempre importante lembrar também que as crianças autistas têm diferentes ritmos de desenvolvimento e possuem algumas habilidades mais desenvolvidas que outras. Por isso, cada atividade deve ser ajustada para se encaixar no jeitinho e no nível de cada criança.

Abaixo seguem nossas sugestões de brincadeiras:

1. Brincadeiras que incentivam a comunicação e interação social

Procure por atividades que ofereçam um ambiente calmo e estruturado para crianças autistas, como montar quebra-cabeças, construir com blocos ou desenhar. 

Essas brincadeiras são projetadas para ajudar os pequenos a se concentrarem, aprimorando a capacidade de resolução de problemas, expressando sua criatividade de maneira não verbal. 

Além disso, ao participar dessas atividades, as crianças têm a oportunidade de praticar habilidades sociais, como compartilhar, colaborar e se comunicar, contribuindo para o seu desenvolvimento emocional e social.

2. Brinquedos congelados

Quando o calor aperta, nada como uma “brincadeira gelada” para entreter e diminuir a temperatura. Mas, os pais ou responsáveis devem preparar tudo com certa antecedência.

Em uma caixa de plástico própria para freezer, despeje um pouco de água e adicione alguns brinquedinhos. Deixe-os congelar por um dia ou dois. Depois, remova o bloco de gelo inteiro e convide a criança para a ação! 

Ela vai adorar libertar os pequenos brinquedos borrifando água morna ou quebrando o gelo com martelinhos de brinquedo. Essa é uma opção de diversão sensorial e refrescante que as crianças autistas podem gostar muito nos dias quentes.

Atividades que estimulam os sentidos são interessantes para todas as crianças, mas especialmente para aquelas com autismo.

3. Exploração de formas

Comece enchendo um recipiente com grãos diversos como feijão, arroz ou macarrão e adicione junto uma variedade de itens pequenos, como botões, tampinhas, miçangas de diferentes formas, cores e tamanhos. 

    Em seguida, convide a criança para separar esses itens usando pinças ou simplesmente os dedos, como se fosse um tipo de “pesca”. Depois, peça para que ela classifique esses objetos capturados conforme suas características, por exemplo: por tipo, cor, forma, quantidade, etc.

    Essa atividade estimula a coordenação motora fina e também promove habilidades de resolução de problemas de uma forma bem envolvente. 

    4. Jogos de Role-Playing e narrativos

    Essa abordagem visa incentivar a imaginação e a narrativa, através de atividades como brincar de faz de conta, criar histórias com bonecos ou inventar mundos imaginários. 

      Quando participam desses jogos, as crianças autistas têm a oportunidade de refinar habilidades importantes, como criatividade, linguagem e compreensão emocional. 

      Essas brincadeiras divertem, ao mesmo tempo que ajudam a criança a expressar seus pensamentos e emoções de forma lúdica e criativa, contribuindo para o seu desenvolvimento social e emocional. 

      5. Terapia com Lego

      Inspirado nos estudos do neuropsicólogo Dan Legoff, a terapia com Lego tem se mostrado bastante eficaz para crianças autistas

        Isso porque, por meio da construção e montagem de peças, as crianças podem desenvolver ou aprimorar diversas habilidades que merecem um destaque especial:

        Coordenação motora fina: Manipular as peças de Lego ajuda a desenvolver habilidades motoras finas, como pegar, segurar e encaixar as peças, o que pode ser especialmente útil para crianças com dificuldades nessa área.

        Criatividade e imaginação: O Lego oferece uma infinidade de possibilidades de construção, o que estimula a imaginação e a criatividade das crianças autistas. Elas podem criar objetos, cenários e histórias, exercitando sua capacidade de pensar de forma flexível e inventiva.

        Aprimoramento das habilidades sociais: A terapia com Lego muitas vezes é realizada em grupo, o que proporciona oportunidades para as crianças autistas praticarem habilidades sociais, como colaboração, compartilhamento e até resolução de conflitos.

        Estímulo da linguagem e comunicação: Brincar com Lego pode ser uma maneira divertida de praticar a linguagem e comunicação. As crianças podem descrever o que estão construindo, fazer pedidos, expressar preferências e compartilhar ideias durante as atividades com Lego.

        Concentração e atenção: A construção com Lego requer foco e atenção aos detalhes, o que pode ajudar as crianças autistas a desenvolverem melhor suas habilidades de concentração e atenção.

        6. Brincadeiras repetitivas

        Brincadeiras repetitivas são comuns entre crianças com autismo, e isso ocorre devido à necessidade de previsibilidade e familiaridade em seu ambiente. 

          A repetição de atividades como alinhar objetos, empilhar blocos ou realizar ações específicas pode oferecer uma sensação de conforto e segurança para a criança autista

          Sendo assim, essas atividades também desempenham um papel importante no desenvolvimento da concentração e na regulação sensorial, fazendo com que a criança encontre uma maneira de lidar com o excesso de estímulos ao seu redor, ajudando-a a se sentir mais calma e focada. 

          7. Pintura livre

          Incentive a criança a experimentar diferentes técnicas de pintura, seja com pincéis, esponjas ou até mesmo com as próprias mãos e pés. 

          Utilize uma variedade de tintas e superfícies para pintura, permitindo que ela se sinta livre para criar da maneira que preferir, mas sempre com supervisão adequada.

            A pintura com as mãos é uma opção especialmente interessante, proporcionando uma experiência sensorial enriquecedora e terapêutica. Essa atividade estimula a criatividade da criança ao mesmo tempo que promove a integração sensorial, contribuindo para o refinamento das habilidades motoras finas.

            Além disso, a pintura livre oferece à criança uma forma de expressar suas emoções de um jeito diferente, permitindo que ela se expresse através das cores e das formas. 

            Por fim, lembre-se sempre de proporcionar um ambiente seguro, acolhedor e inclusivo, onde a criança possa explorar, aprender e se desenvolver. 

            Brincar é uma parte essencial da infância, e com criatividade, paciência e amor, podemos criar momentos significativos e enriquecedores para nossas crianças autistas. 

            Que essas brincadeiras não sejam apenas momentos de diversão, mas também oportunidades de crescimento, conexão e felicidade para toda a família.

            Deixe um comentário

            O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

            Loading