was successfully added to your cart.

Como motivar seu filho a melhorar as notas na escola

Sejamos sinceros: boletim vermelho é um pesadelo para os pais! A gente fica de cabelo em pé quando percebe que nossos pequenos (e nossos grandinhos também!) não estão indo bem quando o assunto são as notas na escola.

Muitas dúvidas começam a rondar os nossos pensamentos nessa hora:

Será que meu filho tem dificuldade de aprender?

Será que meu filho tem algum tipo de necessidade que eu ainda não descobri?

Será que a culpa é minha?

Será que ele não anda estudando o suficiente?

Será que ele não será bem sucedido no futuro?

E por aí vai.

Tem também aquela situação bem complicada que é quando você tem certeza de que seu filho consegue tirar notas mais altas – ele se sai bem em exames e recuperação, porque “tem medo” de repetir o ano. Mas no decorrer dos meses, “afrouxa” e fica desmotivado, deixando todo mundo preocupado.

Como motivar meu filho a estudar mais?

Preocupados com o futuro nos estudos, os pais reclamam, conversam sobre preguiça, falta de motivação, irresponsabilidade… Há também os que tentam estratégias que envolvem castigo e recompensas. Mas em alguns casos, nada parece resolver.

Você simplesmente não entende porque ele segue tão desinteressado e, por mais que tente, a situação não melhora.

A má notícia é que, infelizmente, não há uma “fórmula mágica do estudo” que funcione 100% e de forma super rápida. A questão da aprendizagem é muito subjetiva e difere de pessoa para pessoa. Envolve aptidões, competências, fatores internos e externos.

A boa notícia é que dá sim, para fazer alguma coisa. A seguir nós listamos algumas formas de motivar seu filho a estudar mais e melhor, de uma maneira que o ajude de verdade e diminua a sua preocupação com o boletim e com as notas na escola. Confira!

  1. Assuma sua responsabilidade

Como responsável pela criança, é importante que você assuma sua parcela crucial na educação dela. O que vemos hoje em dia é uma grande quantidade de crianças mimadas e birrentas, desinteressadas na escola e completamente sem limites.

A chamada “Síndrome do Imperador” dá às crianças muito poder e pouca responsabilidade. Eles estudam menos e exigem cada vez mais dos pais, que estão sempre muito ocupados ou dando pouca atenção a eles. O resultado são notas baixíssimas e um comportamento ruim em sala de aula.

Antes de qualquer coisa, analise sua participação na educação de seu filho. Otimize seu tempo com ele, mesmo que sejam alguns minutos no carro pela manhã ou meia hora durante o jantar. Conversem abertamente sobre o dia e peça que ele lhe conte o que fez em cada aula. Como foram as atividades. Estimule-o perguntando do que ele mais gostou, o que aprendeu, etc. Mostre seu interesse e, mesmo que ele não lembre 100% do assunto de cada aula, vai se sentir instigado a contar sua rotina.

E acima de tudo: aprenda a dizer NÃO quando for necessário.

  1. Joguem no mesmo time

Aprenda a manter um relacionamento de respeito com seu filho. Jogue com ele, não contra ele. Castigos severos e manipulações dificilmente surtem efeito. Seus sentimentos de ansiedade, frustração e medo são normais e compreensíveis. Mas reagir a seus filhos com essas emoções será ineficaz. Eles podem se tornar resistentes e reagir contra você, ao invés de colaborar.

  1. Reforço positivo e recompensas

Sabe aquele docinho que a gente se permite comer no sábado porque se comportou super bem durante a semana, malhando e mantendo a dieta certinha? Então. Vamos trabalhar com essas recompensas com os nossos filhos também.

Então comece a dizer coisas como: “Quando você terminar de estudar, você poderá brincar um pouco com seu amigo Fulano”. Ou “quando sua lição de casa estiver concluída, poderemos assistir aquele filme que você queria ver na Netflix.”

O ideal é permitir coisas simples, do dia a dia. Muitos pais se perdem nesses prêmios e acabam prometendo presentes extremamente caros como celulares, viagens e roupas de marca.

Esse tipo de coisa deve ser evitado ao máximo no dia-a-dia. Se a criança já ganha coisas grandes e caras apenas por cumprir sua obrigação e estudar, ela vai querer cada vez mais coisas maiores e mais caras. Pense nisso!

  1. Rotina é importante

Configurem juntos uma estrutura de estudo em casa. Uma tabela, uma lousa ou cartaz no quarto da criança ou num local em comum acordo, bem à vista, que inclua horários de estudo agendados.

A criança precisará cumprir sua rotina de estudos para só então jogar videogame, brincar fora de casa ou utilizar o celular. Isso evita as distrações e faz com que seu filho estude durante o horário estipulado. O local precisa ser tranquilo, longe do irmãozinho ou da irmã e com boa iluminação.

Entenda que isso não significa punição; em vez disso, isso o ajuda a desenvolver uma boa ética de trabalho e a se concentrar em seus assuntos escolares. Algumas crianças estudam melhor se ouvem música; se este for o caso de seu filho, tudo bem. Mas nenhuma outra interferência eletrônica é recomendada.

  1. Seja gentil, mas firme!

Nessa hora a gente sempre fica em dúvida não é mesmo? Saber dosar é fundamental para criar uma parceria de respeito com seu filho.

A dica é ser gentil, mas sempre firme. Tente ser um pai prestativo, uma mãe consistente, uma pessoa presente e que demonstra atenção nos deveres escolares e no desempenho nos estudos da criança.

Para reforçar sempre o lado positivo, use a seguinte regra: para cada interação negativa com o seu filho (uma intervenção ou bronca, por exemplo), tente criar cinco positivos. Tente colocar o foco em apoiá-lo e encorajá-lo.

Mas é só falta de motivação mesmo?

É importante lembrar que algumas dificuldades com as notas na escola podem ser sinal de problemas que necessitam de mais atenção.

Se você achar que os resultados ruins na escola podem ser fruto de Dislexia, TDAH ou ansiedade, vale a pena investigar.

Faça uma parceria com os professores e com o colégio, marque um horário com a coordenação escolar e converse sobre o desempenho da criança. Eles podem te indicar o melhor caminho a seguir ou mesmo recomendar um profissional específico.

Por fim, lembre-se sempre do equilíbrio. Seu filho precisa de interação com os amigos e família, realizar outras atividades, praticar esportes e momentos de descanso. Envolva-se com os assuntos escolares o máximo que puder, mas não abra mão de realizar determinadas coisas com ele. Acredite, isso também motiva e o ajuda a perceber o quanto é querido e o quanto você se importa.

Deixe um Comentário