Já identificou seu material escolar? Nós podemos te ajudar ;-)

Puberdade precoce em meninas e meninos

A puberdade precoce em meninos e meninas pode assustar os pais, porém é mais comum do que parece. Mas, nem por isso deve ser tida como inofensiva.

A grande questão é que muitos pais não sabem quando o amadurecimento do corpo é – de fato – precoce ou não. Isso porque nas décadas passadas, a puberdade chegava bem mais tarde do que nos dias atuais.

Sendo assim, entender mais sobre o desenvolvimento do corpo infantil e identificar os sinais de uma puberdade adiantada é muito importante. Por isso, nosso conteúdo de hoje vem esclarecer pontos cruciais sobre esse tema.

Como saber se é puberdade precoce?

A puberdade precoce começa a surgir por volta dos 8 anos ou até antes disso. É mais frequente em meninas, mas os meninos não estão isentos.

Conforme informações da rede D’or, do Hospital São Luiz, para cada 1 menino que entra na puberdade precoce, 10 meninas apresentam amadurecimento corporal adiantado.

O que provoca puberdade precoce?

Não existem dados conclusivos quanto a isso. Porém, existem muitas especulações que ganham a atenção de estudiosos e cientistas.

Uma delas diz respeito a um tumor que se instala próximo à hipófise, uma glândula localizada na base do cérebro. Essa glândula é responsável por produzir os hormônios do desenvolvimento juvenil.

Embora seja uma situação pouco comum, a presença do tumor pode causar disfunção e acelerar a puberdade. Mas, no geral, esses são casos mais raros.

Entretanto, existem outras possibilidades mais comuns, como o consumo de certas substâncias. É justamente o caso do cipro estrógeno. Esse elemento é encontrado em alguns alimentos e também em alguns materiais plásticos.

Embora não sejam hormônios, essas substâncias podem causar alterações no organismo de algumas pessoas e simular a produção de hormônios – o que acaba causando a puberdade precoce.

Herança genética

Há também indícios de que filhos de mães que menstruaram muito cedo podem desenvolver a puberdade precoce.

Da mesma forma, a herança genética de homens que passaram pela puberdade precoce pode ser transferida para seus filhos.

Caso nenhuma associação seja feita, o quadro é chamado de idiopático. Ou seja, sem qualquer explicação clara ou específica. Trata-se apenas do acionamento adiantado do relógio biológico da criança.

Entenda como acontece no corpo de meninas e meninos

A puberdade precoce é diferente no corpo de meninas e meninos. Em ambos, porém, ela acontece por conta de um descontrole dos hormônios sexuais.

Isso pode acontecer por interferência de uma medicação, por exemplo, ou pelo consumo de outras substâncias que possam causar alterações significativas na produção hormonal.

Puberdade precoce: produção hormonal das meninas

A produção de hormônios sexuais pode acontecer precocemente tanto na glândula pituitária, no cérebro, quanto nos ovários.  Os hormônios em questão são LH e FSH.

Eles acabam por estimular as gônadas e causam essa produção de hormônio (progesterona) que acontece antes do tempo.

Puberdade precoce: produção hormonal dos meninos

A produção hormonal dos meninos ocorre nos testículos.

O efeito é o mesmo: um agente desconhecido estimula a produção de hormônios sexuais – a testosterona – antes dos 9 anos e o menino acaba apresentando um quadro de puberdade precoce.

Quais são os primeiros sinais da puberdade

Os primeiros sinais de puberdade precoce podem ser percebidos pelos próprios pais. É possível notar uma mudança no corpo infantil que indica que ele está amadurecendo muito rapidamente – sobretudo para a idade.

Nas meninas isso acontece especialmente através do broto mamário. Ou seja, um aumento sutil – mas perceptível – nas mamas. A criança pode também se queixar de dores na região mamária em decorrência desse crescimento.

Nos meninos os sintomas são mais discretos e podem ser mais difíceis de identificar. Alguns dos sinais são o aumento testicular e a mudança na voz – que se torna mais grave.

Além disso, para ambos os sexos pode ocorrer:

  • Surgimento de pelos pubianos e nas axilas;
  • Odores mais fortes no corpo;
  • Acne;
  • Crescimento corporal acelerado;
  • Alterações no comportamento;
  • Aumento da oleosidade da pele.

Para as meninas ainda pode ter ocorrência da menarca – a primeira menstruação – muito cedo.

Já sobre os pelos pubianos, é importante analisar as suas características. Isso porque algumas crianças podem ter uma penugem mais espessa na região pubiana naturalmente, sem que haja nenhuma anormalidade.

No entanto, os fios da puberdade precoce são mais grossos e escuros, se destacando bastante e diferindo muito dos pelos dos braços, por exemplo.

De qualquer forma, é importante sempre buscar orientação médica para ter certeza sobre a puberdade precoce.

Consequências de uma puberdade precoce

Existem algumas consequências da puberdade precoce. A principal delas é, obviamente, o risco e abusos sexuais que aumentam bastante com o desenvolvimento do corpo.

Mas, a criança pode apresentar problemas psicológicos relacionados a esse amadurecimento antecipado, por se perceber diferente dos colegas.

Outras consequências são:

  • Possibilidade de se tornar um adulto de baixa estatura;
  • Maior risco de desenvolver doenças como obesidade, hipertensão, diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares e certos tipos de câncer.

Como é feito o diagnóstico?

Em geral o médico analisa o corpo da criança e acompanha o histórico do seu desenvolvimento ao longo dos anos.

Ao perceber o surgimento de pelos, acne, crescimento mamário ou testicular, ou qualquer outro sinal que cause estranhamento para a idade, os pais devem consultar um pediatra.

Outra forma de identificar é através da obtenção de imagem, como o raio-x ósseo. Ele mostra como está o desenvolvimento dos ossos e pode apontar uma irregularidade no desenvolvimento.

Tratamento para puberdade precoce

O tratamento adequado depende de cada caso e do aconselhamento médico. No entanto, o mais comum é que seja receitado algum tipo de inibidor hormonal.

Geralmente, isso é feito através de injeções que podem ser aplicadas com uma frequência mensal ou trimestral. Esses medicamentos também inibem o desenvolvimento ósseo acelerado.

Isso porque pessoas com puberdade precoce podem crescer rapidamente, mas não atingem a estatura máxima que deveriam. Então o remédio vem para impedir também que isso aconteça.

Tempo de tratamento

Normalmente o tratamento persiste até os 12 anos. A partir daí, o médico tende a liberar a criança do uso dos inibidores hormonais para que ocorra o crescimento no tempo certo.

Também existem casos com a presença de tumor em que a puberdade precoce pode demandar uma intervenção cirúrgica. Mas, conforme já explicamos anteriormente, são casos mais atípicos.

Além disso, pode haver casos em que não há nenhum tratamento indicado, apenas o acompanhamento médico.

De qualquer forma, somente um especialista pode dizer qual é a melhor solução para cada caso.

Desse modo, os pais não devem descuidar do acompanhamento de rotina  com o pediatra para  identificar qualquer problema de desenvolvimento fora do comum.

A puberdade precoce só será preocupante se não houver acompanhamento adequado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading