Ganhe adesivos juninos em todos os pedidos acima de R$100! Aproveite ;-)

VSR Vírus Sincicial Respiratório

O VSR – Vírus Sincicial Respiratório faz parte do gênero Pneumovírus.  Embora seu nome não seja muito conhecido, ele é o agente causador da bronquiolite, doença que afeta principalmente crianças até 2 anos de idade e também causa pneumonia. 

Alguns de seus sintomas mais comuns são constantemente confundidos com um resfriado, tais como:

  • Corrimento nasal;
  • Febre;
  • Tosse;
  • Infecção que desencadeia desconforto respiratório;
  • Dor de garganta;
  • Dor de cabeça.

Em grande parte dos casos a infecção ocorre de maneira autolimitada. Isso quer dizer que os sintomas podem desaparecer sozinhos após alguns dias. 

Existem também casos assintomáticos da doença conforme informações da coluna de Drauzio Varella

VSR – Vírus Sincicial Respiratório – o que é, sintomas e tratamento

Problemas respiratórios em crianças podem despertar preocupação e deixar os pais aflitos. 

Não é para menos, pois muitos deles realmente detém potencial para evoluírem para quadros preocupantes. Nesse contexto, falaremos um pouco sobre o VSR – Vírus Sincicial Respiratório

Conhecer um pouco sobre esse vírus pode ajudar a entender o seu desenvolvimento, sintomas e até mesmo compreender mais sobre a sua gravidade. 

Então, continue lendo até o final e tire todas as suas dúvidas sobre o assunto. 

O que é o VSR – Vírus Sincicial Respiratório?

O VSR – Vírus Sincicial Respiratório é o agente causador da bronquiolite, doença que afeta principalmente crianças até 2 anos de idade. Esse vírus também está diretamente associado aos quadros de pneumonia conforme dados da Fiocruz

Agravamento dos sintomas causados pelo vírus

Uma questão a respeito do VSR – Vírus Sincicial Respiratório é que seus sintomas são bastante genéricos. Eles se assemelham aos sintomas de um resfriado comum – conforme detalhamos no início – o que muitas vezes dificulta o diagnóstico. 

A grande questão é que o agravamento pode afetar os bronquíolos, alvéolos e pulmões. Por isso é importante ficar atento aos seguintes sintomas:

  • Febre alta;
  • Tosse incessante;
  • Dificuldade para respirar;
  • Lábios e unhas arroxeados;
  • Chiado no peito;
  • Falta de apetite;
  • Letargia;
  • Desidratação.

Os pais também devem notar se a criança parece ter um afundamento entre as costelas ao respirar, o que muitas vezes indica uma força descomunal para obter ar. 

Idade mais afetada pelo VSR – Vírus Sincicial Respiratório

Crianças são mais afetadas pelo Vírus Sincicial Respiratório, em especial recém-nascidos e crianças até os 5 anos de idade. 

Mesmo casos em que a mãe teve a doença e acabou passando anticorpos para o bebê pode ocorrer a reinfecção. Portanto, é um vírus que demanda atenção em tempo integral. 

A revista científica The Lancet publicou uma série de artigos (em inglês) que alertam sobre os perigos desse vírus, sobretudo quando estamos prestes a controlar o Coronavírus. 

Em uma entrevista durante coletiva de imprensa, Harish Nair, co-autor de um dos artigos da The Lancet e pesquisador da Universidade de Edimburgo, no Reino Unido, afirmou que crianças menores de 6 meses são especialmente suscetíveis ao vírus. 

Como ocorre a transmissão do VSR – Vírus Sincicial Respiratório

O VSR – Vírus Sincicial Respiratório é altamente contagioso. 

A sua transmissão ocorre através de mucosas da boca, do nariz ou dos olhos. No entanto, o grande problema é que a transmissão começa até 2 dias antes dos primeiros sintomas. 

Isso quer dizer que pessoas infectadas podem estar circulando sem qualquer cuidado e sem imaginar que estão incubando o vírus. Os meios de transmissão mais comuns são através do:

  • Espirro;
  • Tosse;
  • Fala com saliva;
  • Contato com superfícies infectadas como corrimão e maçaneta. 

Se uma pessoa infectada tosse ou espirra na própria mão e toca uma superfície, por exemplo, o vírus pode permanecer vivo ali por horas. 

Com isso, caso outra pessoa toque o local e leve para boca, nariz ou olho corre o risco de infecção. 

Diagnóstico e tratamento

Por conta de seus sintomas tão genéricos o VSR – Vírus Sincicial Respiratório depende de um diagnóstico que combina a análise de sintomas com a época do ano

O vírus é mais comumente espalhado durante inverno e outono. Ao perceber os sintomas e desconfiar do quadro, o médico pode realizar alguns exames laboratoriais, de sangue, ou de coleta da secreção nasal bucal. 

Além disso, uma radiografia do tórax pode apontar o quão afetado está o pulmão da criança após comprovação do VSR – Vírus Sincicial Respiratório.

Em geral, os médicos não pedem exames laboratoriais e  dão o diagnóstico analisando apenas os sintomas. 

Porém, se houver necessidade de internação ou suspeita de um surto, o pedido de exame pode ocorrer.

Tratamento do VRS

Uma vez que a criança é diagnosticada com o VSR – Vírus Sincicial Respiratório o tratamento deve se iniciar imediatamente.  

Se apresentar muita dificuldade para respirar, o paciente pode ser encaminhado para internação. Nesse caso, os médicos utilizam oxigênio para ajudar na respiração e no alívio dos sintomas. 

No entanto, a maioria das crianças não chegam ao ponto de internação. O tratamento é feito em casa, com administração de medicamentos que visam aliviar os sintomas e evitar o agravamento.

Porém, vale alertar que os pais devem se manter muito atentos para identificar qualquer dificuldade na respiração ou mesmo sinais de desidratação nas crianças afetadas pelo VSR. 

O médico pode indicar também a sucção do nariz e lavagem com soro para desobstruir e ajudar na respiração. 

Entretanto, os pais devem evitar descongestionantes nasais, pois podem trazer efeitos colaterais preocupantes para os pequenos. 

Dicas para se prevenir contra o VSR – Vírus Sincicial Respiratório

O VSR – Vírus Sincicial Respiratório é um vírus que tem circulação intensa no Brasil. Portanto, é difícil manter a criança completamente segura nesse sentido, mas algumas dicas podem ajudar:

  • Lave sempre as mãos da criança com água e sabão;
  • Não deixe a criança levar a mão suja aos olhos, boca ou nariz;
  • Evite o contato da criança com pessoas infectadas;
  • Afaste-se da criança ao tossir ou espirrar. 

Ademais, os pais devem sempre procurar um pediatra quando bebês menos de 6 meses apresentam sintomas como:

  • Dificuldade respiratória;
  • Febra alta;
  • Sinais de desidratação.

A desidratação, por sinal, pode ser percebida pelos lábios ressecados ou quando a criança chora sem lágrimas. Os pais também podem notar quando a criança parece fazer menos xixi do que o normal. 

Somente o médico pode realmente apontar um quadro de VSR – Vírus Sincicial Respiratório. Por isso é tão importante buscar orientação profissional. 

Por fim, esse é um vírus frequente, mas o não tratamento pode levar a complicações. Por isso, se suspeitar de algo, busque ajuda médica rapidamente. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading