Já identificou seu material escolar? Nós podemos te ajudar ;-)

Como melhorar a imunidade de bebês e crianças

A imunidade desempenha um papel fundamental na saúde infantil, pois com sistemas imunológicos em desenvolvimento, bebês e crianças pequenas são mais suscetíveis a infecções. 

Sendo assim, é responsabilidade dos pais e cuidadores  adotar medidas que ajudem a fortalecer a imunidade dos pequenos, e a boa notícia é que existem estratégias práticas para atingir esse objetivo.

Por isso, hoje vamos abordar algumas maneiras simples e eficazes para que os pais possam auxiliar diretamente na melhora das defesas naturais de bebês e crianças. Acompanhe a leitura e fique por dentro do assunto!

Nutrição adequada para melhorar a imunidade

A nutrição é um dos pilares mais básicos para fortalecer o sistema imunológico de bebês e crianças. E isso começa com a amamentação, que oferece uma gama de proteínas essenciais através do leite materno, sendo essa a primeira linha de defesa natural proporcionada à criança durante os primeiros seis meses de vida.

Aqui, no blog da Grudado em Você, nós temos diversos conteúdos falando sobre a amamentação e sua importância, incluindo formas de lidar com eventuais dificuldades comuns na fase de adaptação – sobretudo para mães de primeira viagem.

Alimentos nutritivos

À medida que introduzimos alimentos sólidos às refeições do bebê, é vital incluir uma variedade de nutrientes em cada uma delas. Desse modo, frutas, vegetais, proteínas magras e grãos inteiros são elementos essenciais. 

Também se lembre dos alimentos ricos em vitaminas, como, por exemplo, frutas cítricas e ovos, que ajudam na produção de anticorpos. Se o seu filho costuma dar trabalho para comer, temos um artigo completo abordando táticas para você lidar com esse problema.

Importância dos nutrientes específicos

  • Vitamina C: presente em alimentos como frutas cítricas, morangos, kiwis e pimentões, a vitamina C ajuda a produzir glóbulos brancos, que são as “células de combate” do sistema imunológico. Nesse contexto, é importante lembrar que o corpo humano não produz vitamina C, então é importante obter essa vitamina através da alimentação.
  • Vitamina D: encontrada em alimentos como ovos, peixes gordurosos e em pequenas quantidades nos cogumelos, a vitamina D desempenha um papel importante no fortalecimento do sistema imunológico. Além disso, a exposição solar moderada ajuda o corpo a produzir vitamina D naturalmente.
  • Proteínas magras: carnes magras, peixes e leguminosas são fontes ricas de proteínas, essenciais na construção de células e dentre elas estão as do sistema imunológico.
  • Zinco: presente em carnes vermelhas, nozes e grãos integrais, o zinco é essencial para o funcionamento adequado de um bom sistema imune.
  • Ômega-3: encontrado em peixes, como salmão e sardinha, o ômega-3 tem propriedades anti-inflamatórias que ajudam o sistema imunológico a responder de forma mais eficaz.

Probióticos

Dependendo da idade da criança, a introdução de probióticos, encontrados em iogurtes e kefir, podem promover um equilíbrio saudável de bactérias no trato gastrointestinal, fortalecendo indiretamente a resposta imunológica. 

Por fim, mantenha o equilíbrio na dieta, evitando o excesso de açúcar, gorduras trans e processados. Se não for indicação médica, você não precisa ser extremamente rígida nas proibições. Mas, a moderação é crucial. 

Se achar válido, você pode consultar um pediatra ou nutricionista infantil, pois eles podem ajudar a criar um plano alimentar que atenda às necessidades específicas do seu filho com base no objetivo de melhorar a imunidade.

Suplementação auxilia na melhora da imunidade?

A suplementação é, sim, uma opção em alguns casos. Por exemplo, suplementar vitaminas e minerais pode ser benéfico se a criança tiver uma alimentação deficiente nesse sentido. 

A falta ou baixa dosagem de vitaminas pode ser constatada através de exames clínicos solicitados pelo pediatra.

No entanto, para a maioria das crianças que têm uma dieta equilibrada, suplementos podem não ser necessários e, em alguns casos, podem até não ser apropriados. 

Por isso, sempre consulte um médico antes de iniciar qualquer suplementação, garantindo assim que essa seja uma iniciativa segura.

Exposição ao ar livre contribui para melhorar a imunidade

As atividades ao ar livre e o contato com a natureza desempenham um papel significativo no fortalecimento do sistema imunológico de qualquer pessoa, e essa é uma medida simples que você pode adotar. Confira os benefícios:

  • Saúde física: o tempo gasto brincando do lado de fora de casa permite que as crianças se envolvam em atividades físicas, o que é fundamental para a saúde de modo geral. Correr, pular e explorar o ambiente ao ar livre ajuda a fortalecer os músculos e melhorar a circulação sanguínea.
  • Qualidade do sono: atividades ao ar livre levam geralmente a uma melhor qualidade do sono, o que é essencial para a saúde imunológica das crianças. O ar fresco e o movimento corporal durante o dia contribuem para uma noite de sono mais saudável.
  • Redução do estresse: o contato com a natureza tem sido associado à redução do estresse em crianças e essa notícia é muito positiva, pois o estresse pode comprometer o sistema imunológico. Portanto, passar tempo em ambientes abertos pode ajudar a aliviar tensões e ansiedades que possam afetar a saúde dos pequenos.

Incentive seus filhos a passarem mais tempo ao ar livre, mas lembre-se de praticar medidas de segurança, como a aplicação de protetor solar e sempre ter a supervisão de adultos.

Vacinação ajuda a melhorar a imunidade?

A vacinação é um dos avanços médicos mais importantes na promoção da imunidade de bebês, crianças e adultos. 

As vacinas funcionam estimulando o sistema imunológico a criar defesas contra doenças específicas, preparando o corpo para combater esses invasores se eles entrarem em contato no futuro.

Mitos sobre vacinas frequentemente circulam, mas é fundamental separar a ficção da realidade. Por exemplo, é um mito que vacinas causem autismo ou enfraqueçam o sistema imunológico; pelo contrário, elas o fortalecem.

Sendo assim, ao seguir rigorosamente o calendário de vacinação recomendado por pediatras e autoridades de saúde, os pais podem proteger seus filhos contra uma série de doenças potencialmente graves, incluindo sarampo, poliomielite e difteria.

Além disso, vale ressaltar que as vacinas não apenas beneficiam a saúde individual das pessoas, mas também contribuem para a imunidade coletiva, protegendo aqueles que não podem ser vacinados, como bebês muito pequenos ou pessoas com alergias severas.

Hábitos de higiene que ajudam a melhorar a imunidade

A imunidade começa com a prevenção, onde hábitos de higiene se tornam uma importante linha de defesa para manter as crianças saudáveis. Dessa forma, ensine seus filhos a lavar as mãos regularmente, especialmente antes das refeições e após usar o banheiro. 

Além disso, promova a etiqueta da tosse e espirro. Ensine seus filhos a cobrir o nariz e a boca com o cotovelo ou um lenço, em vez de usar as mãos, para evitar a disseminação de vírus e germes. 

Sono adequado para o fortalecimento imunológico

O sono apropriado desempenha um papel crítico no fortalecimento do sistema imunológico de crianças e também dos adultos. Durante o sono, o corpo libera citocinas, proteínas que ajudam a combater infecções e inflamações. 

Portanto, certifique-se de que seus filhos estejam usufruindo da quantidade adequada de sono para a idade deles. 

Nesse contexto, vale dizer que, crianças pequenas precisam geralmente de mais tempo de sono, então siga um cronograma que possa garantir o devido descanso para a criança.

Cuidados enquanto a criança estiver doente

Por último, mas não menos importante, o tratamento adequado enquanto uma criança está doente é fundamental para a imunidade a longo prazo. Por isso, ao menor sinal de que algo não vai bem, evite a automedicação de seus filhos e busque orientação médica primeiro. 

A febre, por exemplo, é frequentemente um mecanismo de defesa do corpo contra infecções, e baixá-la precocemente com medicamentos pode interferir no processo natural de cura. 

Além disso, vale reforçar que a criança adoecida precisa estar sempre bem hidratada, pois a água desempenha um papel vital na função imunológica de modo geral.

É importante considerar também a possibilidade de manter a criança temporariamente afastada para evitar a contaminação de outras pessoas. 

Isso é especialmente importante no início da doença, quando os sintomas podem ser mais intensos e o potencial de disseminação do agente infeccioso é maior.

Desse modo, evitar que a criança frequente a creche ou escola, faça ou receba visitas que podem ser adiadas é uma medida importante. 

Quanto ao retorno à rotina escolar após vencer a enfermidade, isso depende da natureza da doença, intensidade dos sintomas e, sobretudo, da orientação médica. 

Como pode perceber, existem muitas ações que podem ser adotadas com foco em melhorar a imunidade de seus filhos. São coisas simples, mas que se colocadas em prática poderão fazer toda diferença na saúde e desenvolvimento das crianças.

Você já conhecia essas dicas? Conte para nós o que você tem feito para ajudar o sistema imune do seu filho a ficar mais forte! Vamos adorar saber.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading