Use o cupom: VINTE pra ganhar 20% de desconto !

Como identificar a sucção não nutritiva

A sucção não nutritiva é um comportamento natural e instintivo presente em crianças de diferentes faixas etárias. Basicamente, ela ocorre quando a criança suga o dedo, chupeta ou outros objetos sem a intenção de obter alimento, o seu desejo é apenas a sucção.  

Essa prática é comum entre os recém-nascidos e pode ser observada desde o período intrauterino, tendo como principal objetivo proporcionar conforto e segurança para o bebê.  

Neste artigo, vamos explorar como identificar as situações em que a sucção não nutritiva se apresenta, descobrindo se existem benefícios ou prejuízos para as crianças, e compreendendo como lidar com ela. 

Como identificar a sucção não nutritiva 

 Nos primeiros meses de vida, a sucção não nutritiva é considerada benéfica, pois ajuda a acalmar e tranquilizar o bebê. Além disso, ela também contribui para o desenvolvimento da musculatura orofacial e na coordenação entre a respiração e a deglutição.  

Nesta fase, a utilização da chupeta pode ser uma boa alternativa para evitar que a criança sugue o dedo, já que o hábito de chupar o dedo pode ser mais difícil de ser eliminado posteriormente. No entanto, é importante ressaltar que a sucção não nutritiva deve ser controlada e acompanhada pelos pais, uma vez que ela é positiva até certo ponto.  

Isso porque a partir dos dois anos, é recomendado que a criança comece a abandonar o hábito, pois após essa idade pode trazer consequências negativas para a saúde bucal e o desenvolvimento da fala.  

Nesse sentido, podemos citar como prejuízos consideráveis o desalinhamento dos dentes, alterações na mordida e na arcada dentária, além de possíveis problemas na articulação temporomandibular (ATM). 

Como saber se a sucção não é nutritiva 

 Para identificar a sucção não nutritiva, é importante prestar atenção aos sinais e comportamentos do bebê. Geralmente, esse tipo de sucção ocorre quando o pequeno está relaxado, sonolento ou em busca de conforto. Além disso, é fácil perceber que a criança suga mais lentamente e de forma rítmica. 

Cada criança tem suas preferências, mas é comum praticar a sucção não nutritiva sugando o dedo, a chupeta, o seio da mãe ou até mesmo o próprio lábio inferior.  

Nesses momentos, o bebê não está interessado em se alimentar, mas sim em se acalmar e se sentir seguro. Mas, muitos pais, principalmente os de primeira viagem, costumam achar que a criança está com fome. 

Sendo assim, é importante ressaltar que quando o bebê deseja realmente se alimentar, ele sempre apresentará sinais claros, como chorar, mexer a cabeça em busca do seio ou do bico da mamadeira e abrir a boca. Nesses casos, a sucção é nutritiva, pois o que ele quer é obter alimento e é comum que aos poucos os cuidadores notem que há um padrão na rotina do bebê

Sucção não nutritiva e a produção de leite materno 

 A sucção não nutritiva tem um impacto significativo na produção de leite materno, pois quando o bebê suga o seio da mãe, mesmo que não esteja se alimentando, ele promove a liberação dos hormônios prolactina e ocitocina. Isso porque, fisicamente, o corpo da mulher apenas identifica o estímulo produzido pela sucção, sem diferenciar se ela é nutritiva ou não. 

A prolactina é responsável pela produção de leite, enquanto a ocitocina atua na liberação do leite armazenado nas glândulas mamárias. Portanto, quanto mais o bebê suga, maior será a produção de leite.  

Nesse aspecto, a sucção não nutritiva pode ser especialmente benéfica para as mães que enfrentam dificuldades na produção de leite, pois, muitas vezes, a baixa produção está relacionada à falta do estímulo adequado das glândulas mamárias.  

Sucção não nutritiva e o sono do bebê 

 A sucção não nutritiva é apenas um dos comportamentos da criança. Portanto, como os demais, precisa ser acompanhado para que não se torne um hábito desfavorável que influencie em aspectos importantes como o sono.  

Isso porque, em alguns casos, a sucção não nutritiva pode se tornar uma associação negativa ao sono, fazendo com que o bebê só consiga dormir quando estiver sugando algo. Para evitar que isso aconteça, é essencial estabelecer uma rotina de sono desde o nascimento, ensinando pacientemente o bebê a adormecer de forma independente.  

É possível fazer isso através da criação de uma ambientação específica para a hora do sono, adotando práticas que incluem:  

  • Propiciar pouca luz e ruídos ao local; 
  • Promover rituais relaxantes antes de dormir; 
  • Providenciar um banho morno; 
  • Realizar uma massagem; 
  • Gerar o hábito da leitura de histórias.  

Além disso, é importante que os pais e cuidadores estejam atentos aos sinais de sono do bebê e o coloquem para dormir assim que perceberem que ele está cansado, sem incentivar a sucção não nutritiva neste momento. 

Quanto tempo dura a sucção não nutritiva 

 No contexto de tempo, é importante ressaltar que cada bebê é único e, portanto, a duração da sucção não nutritiva pode variar conforme as necessidades e características individuais do seu filho.  

Algumas crianças podem apresentar uma maior necessidade desse tipo de estímulo, enquanto outras podem se satisfazer com menos tempo de sucção. Contudo, a sucção não nutritiva tende a ser mais frequente nos primeiros meses de vida, quando o bebê ainda está se adaptando ao mundo externo, buscando conforto e segurança através do ato de sugar.  

Desse modo, é comum que os bebês passem várias horas por dia apenas sugando, seja no seio materno, na chupeta ou no dedo. Mas, com o passar do tempo, a necessidade tende a diminuir, à medida que o pequeno se desenvolve, adquirindo outras habilidades e formas de se acalmar e relaxar. 

Benefícios e malefícios da sucção não nutritiva 

A sucção não nutritiva pode ser benéfica para o bebê pelos motivos que já citamos nos tópicos anteriores, mas também pelo fato de que esse comportamento é natural e pode auxiliar na redução do desconforto em situações específicas, como durante a vacinação ou a realização de procedimentos médicos.  

No entanto, é importante ter em mente que a sucção não nutritiva deve ser equilibrada com a sucção nutritiva. Isso porque o uso excessivo de chupetas ou a sucção prolongada do dedo podem interferir na amamentação, no desenvolvimento adequado da fala e da dentição.  

Além disso, se o pequeno passa muito tempo apenas sugando sem se alimentar como deveria, pode haver um comprometimento do seu ganho de peso e até de crescimento.  

Por isso, é sempre muito importante buscar orientação de um pediatra para avaliar a situação e receber orientações adequadas sobre o que é melhor para o seu filho. Ademais, um odontopediatra também pode contribuir positivamente com esse assunto. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading