Ganhe adesivos juninos em todos os pedidos acima de R$100! Aproveite ;-)

Criança com mau hálito: causas e o que fazer

O sorriso de uma criança é uma das coisas mais adoráveis ​​do mundo, mas quando o mau hálito faz parte desse quadro, a beleza pode se ofuscar um pouco, além de se tornar uma fonte de preocupação para pais e cuidadores. 

A halitose, ou mau hálito, é um problema que pode afetar pessoas de todas as idades, e as crianças infelizmente não estão isentas desse incômodo. Sendo assim, é importante entender que o problema não é apenas uma questão de higiene bucal, pois pode ser um sintoma de problemas subjacentes mais graves. 

Neste artigo, examinaremos o que caracteriza o mau hálito em crianças, suas causas mais comuns e as medidas que os pais podem tomar para ajudar seus filhos a manterem um hálito fresco e saudável. 

Criança com mau hálito: causas e o que fazer

O mau hálito, também conhecido como halitose, é uma condição caracterizada por um odor ruim emitido pela respiração de uma pessoa. 

Esse odor pode ser causado por vários motivos, como a presença de bactérias na boca, problemas no sistema respiratório ou digestivo, má higiene bucal, consumo de certos alimentos, ou até mesmo condições de saúde subjacentes.

Sendo assim, o mau hálito em crianças detém os mesmos princípios. No entanto, pode ser particularmente preocupante, pois as crianças podem não estar cientes do problema ou podem ser constrangidas por eles. 

7 possíveis causas de mau hálito em crianças

O mau hálito em crianças pode ser causado por uma variedade de fatores e abaixo destacamos algumas das causas mais comuns e como identificá-las:

  1. Higiene bucal inadequada: A falta de escovação ou escovação insuficiente, e a falta de uso do fio dental regularmente pode permitir que bactérias se acumulem na boca, causando mau hálito. Isso é relativamente simples de identificar, acompanhando se a higiene bucal da criança está sendo feita corretamente.
  2. Cáries dentárias: Crianças com cáries dentárias podem desenvolver mau hálito devido a isso. A identificação do problema é feita por um dentista durante um exame odontológico de rotina.
  3. Infecções na garganta: Amigdalite ou faringite podem levar ao mau hálito. Se o problema surgir simultaneamente a infecções de garganta, possivelmente há relação com o surgimento do hálito ruim.
  4. Sinusite: Infecções nos seios nasais, frequentemente acompanhadas de congestão nasal e dor facial, também podem causar mau hálito. 
  5. Distúrbios gastrointestinais: Problemas no sistema digestivo, como refluxo gastroesofágico (DRGE) ou constipação, podem resultar em mau hálito. Isso pode ser identificado por meio de uma avaliação médica que vai considerar também outros sintomas associados.
  6. Doenças respiratórias: Algumas condições pulmonares, como bronquite crônica, podem desencadear o mau hálito em crianças. A presença de problemas respiratórios deve ser avaliada também quando estiver buscando as causas da halitose.
  7. Medicamentos: Alguns medicamentos, como certos antibióticos, podem contribuir para o desenvolvimento do mau hálito. É importante verificar com o médico se isso pode ser um efeito colateral dos medicamentos da criança.

     

Fatores comportamentais e alimentares

O mau hálito em crianças pode ser influenciado também por questões comportamentais e dietéticas, e a desidratação é um desses fatores. 

Isso porque, quando as crianças não ingerem água o suficiente, a produção de saliva diminui, e a boca se torna um ambiente propício para o crescimento de bactérias causadoras do mau hálito. 

Portanto, é fundamental garantir que a criança esteja sempre bem hidratada, especialmente em climas quentes ou após atividades físicas. Outro fator é a dieta, que possui um importante impacto na questão do hálito. Afinal, alimentos como alho e cebola, podem causar um mau hálito, mas é uma condição temporária. 

Além disso, dietas ricas em açúcares podem promover o crescimento de bactérias na boca e essas, sim, causarão problemas mais sérios. Desse modo, incentivar – sempre – a escovação adequada após as refeições pode ajudar a prevenir o mau hálito em crianças.

A respiração bucal é outra questão relevante. Isso porque, crianças que respiram predominantemente pela boca, devido à congestão nasal ou outros problemas respiratórios, são mais suscetíveis ao mau hálito. Nesses casos, é importante tratar as causas subjacentes.

Por fim, o uso prolongado de chupetas ou a sucção do dedo também pode contribuir para o mau hálito em crianças, já que esses hábitos podem abrigar bactérias. Estratégias para reduzir ou eliminar esses comportamentos podem ser consideradas.

Ajuda para resolver o mau hálito infantil: quem e onde procurar

Existem vários profissionais de saúde que podem oferecer orientação e assistência:

  • Dentista pediátrico: Os dentistas pediátricos são especializados em cuidados dentários para crianças e vão identificar problemas evidentes que possam estar contribuindo para o mau hálito.
  • Pediatra: O pediatra da criança é outra fonte de apoio. Eles podem realizar exames físicos, identificar problemas de saúde subjacentes e encaminhar a criança para um especialista, se necessário.
  • Fonoaudiólogo: Se houver problemas adversos, como respiração pela boca ou ronco, ou se uma criança tiver dificuldades na fala, um fonoaudiólogo pode ser recomendado para avaliar se tais condições têm alguma relação com o mau hálito.
  • Nutricionista: Se a suspeita de que a causa do mau hálito está relacionada à dieta da criança, um nutricionista pode ser consultado. Esse é o profissional que pode fornecer orientações sobre como escolher alimentos que promovam a saúde bucal.
  • Otorrinolaringologista: Se houver problemas como sinusite ou infecções de gargantas recorrentes, um otorrinolaringologista poderá ajudar a confirmar se o mau hálito tem alguma relação com questões relacionadas ao nariz, garganta e ouvidos.

Ademais, ao buscar ajuda comunique claramente todos os sintomas, até mesmo aqueles que julgar simples demais. 

Compartilhe suas suspeitas e opiniões, deixando que o profissional de saúde avalie suas informações junto ao exame físico que ele deve realizar. Com isso, certamente será possível encontrar o melhor tratamento para acabar com o mau hálito infantil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading