Bolsinhas, Sacos, Estojos e Organizadores com 20% off! Até 23/06. Use o cupom amo20

Alimentação infantil: seu filho está comendo bem e o suficiente?

A alimentação é extremamente importante para a vida de todos nós, mas, quando falamos da alimentação de nossos filhos, aí a coisa ganha outra proporção, não é mesmo? Como as crianças estão em fase de crescimento, o seu corpo precisa receber a dose correta dos mais diversos nutrientes para que elas possam se desenvolver da melhor maneira possível.

Mas como saber se o seu filho está se alimentando corretamente? Comer muito não é sinônimo de saúde, e queremos ter certeza de que nossos pequenos estejam ingerindo a quantidade adequada de vitaminas, sais minerais, proteínas, entre outros nutrientes. Para ter mais segurança, que tal aprendermos um pouco mais sobre a alimentação das crianças?

Conhecendo um pouco mais sobre alimentação infantil

Uma das maiores dúvidas dos pais sobre a alimentação infantil provavelmente é: quando oferecer aos filhos cada tipo de alimento? A escolha dos alimentos e a quantidade a se oferecer para a criança vão variar de acordo com a idade dela.

Até o 6° mês

De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), até o 6º mês, só deve ser oferecido aos filhos o leite materno. Nele há todos os nutrientes de que o bebê precisa para se desenvolver de forma plena.

Rico em proteínas essenciais para melhorar as conexões cerebrais, o leite materno também contém anticorpos que ajudam a proteger a criança contra doenças. Por isso, nessa fase, é importante que a mãe se alimente bem e mantenha hábitos saudáveis. Além da importância nutricional, a amamentação ajuda a fortalecer o vínculo entre mãe e filho.

A partir do 6º mês

Do 6º mês em diante, já é possível introduzir alguns alimentos sólidos na dieta dos pequenos. Isso não significa que ele já possa comer como adulto, e esses novos alimentos precisam ser oferecidos em quantidades adequadas. Assim, servir uma colher de sopa de cada alimento (quantidade compatível com 1/3 da porção para adultos) é o suficiente.

É possível inserir três porções diárias de carboidratos, incluindo verduras, frutas e legumes. As proteínas, na forma de carnes e ovos, também devem ter o seu papel, porém, um pouco menor: no máximo duas porções por dia. Já leguminosas, como o feijão, podem ser oferecidas em apenas uma porção por dia. O leite materno deve ser mantido como único alimento de seu grupo.

Do 1° ano até a 1ª infância (3 anos)

Essa fase é uma das mais importantes para a criança, que passa a ter uma vida muito mais ativa. Por isso, a quantidade de carboidratos — principal fonte de energia — aumenta de três para cinco porções diárias. Agora já é possível inserir outros tipos de leite e também seus derivados, como a manteiga e o queijo.

Como saber se o seu filho está se alimentando corretamente

Por mais que a alimentação dos filhos muitas vezes seja algo de tirar o sono de qualquer mãe, é importante ter em mente que cada criança tem uma necessidade nutricional diferente. Assim, não adianta comparar: existem aqueles que raspam o prato e outros que deixam sobrar um pouco. Se o seu filho não é bom de garfo, isso não quer dizer que ele esteja comendo mal, ele já pode ter consumido a quantidade de comida suficiente para o seu biotipo.

Uma boa tática? Ofereça menos do que o pequeno costuma comer. Assim, você permite que ele peça por mais e, se isso não acontecer, é porque está satisfeito.

A forma mais usual de saber se o seu filho está com a nutrição em dia é observá-lo. Ele está ativo? Brinca constantemente? Dorme bem? As unhas e os cabelos estão normais? Quando há alguma deficiência nutricional, o corpo acaba dando a resposta e, por isso, precisamos ficar de olho nos sinais.

Mas, se ainda restar dúvida se o pequeno está realmente se alimentando de forma saudável, o ideal é procurar um nutricionista. Ele verificará se o peso dele está adequado para a idade, se há deficiência de algum nutriente, como ferro ou vitamina D. Existem exames que podem apontar esses problemas.

E aí? Já sabe tudo sobre alimentação infantil? Como faz para saber o que oferecer e quando alimentar o seu filho? Compartilhe as suas experiências conosco!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading