was successfully added to your cart.

Como ajudar os filhos com transtornos e dificuldades de aprendizagem?

transtornos e dificuldades de aprendizagem

Olá, mamãe! Como vai a rotina na sua casa? Se, mesmo em meio a todos os afazeres do dia a dia, você sempre arranja um tempinho para acompanhar a vida escolar dos filhos, parabéns! Esse cuidado é fundamental para identificar transtornos e dificuldades de aprendizagem dos pequenos.

Esses dois problemas podem comprometer o desempenho na escola e, como consequência, prejudicar até mesmo as interações sociais, fundamentais para o desenvolvimento infantil. Mas qual é a diferença entre os dois e, o principal, como ajudar os pequenos a lidar com eles? É isso o que você vai descobrir neste texto. Acompanhe!

O que são transtornos e dificuldades de aprendizagem?

Tanto os transtornos como as dificuldades de aprendizagem são identificados quando a criança não apresenta as respostas esperadas para cada etapa da educação escolar. Mas, ao contrário do que a gente pode pensar, não são a mesma coisa. Veja o que caracteriza cada um.

Transtorno de aprendizagem

Transtornos são comprometimentos nas habilidades cognitivas da criança que impedem que ela acompanhe os padrões regulares de aprendizado.

Eles são diagnosticados clinicamente e constam até no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais – 5 (DSM), elaborado pela American Psychiatric Association e referência para os especialistas de saúde. Os transtornos podem incluir:

  • dislexia: problemas para a codificação linear de enunciados, que fazem com que a criança tenha dificuldade para falar, ler, escrever e soletrar;
  • disgrafia: problemas com a representação gráfica das palavras, que afetam a capacidade de leitura e escrita;
  • discalculia: problemas no entendimento de competências matemáticas, que impedem a criança de fazer cálculos ou até mesmo de ler as horas;
  • dislalia: problemas na produção da fala, que podem ter a ver com alterações no aparelho fonador (que abrange a boca, os músculos da laringe e o aparelho respiratório);
  • déficit de atenção com hiperatividade (TDAH): problema que leva à dificuldade de concentração, à impaciência excessiva e à impulsividade, entre outros sintomas.

Todas essas manifestações de transtornos de aprendizagem têm em comum o fato de serem biológicas. Isso quer dizer que surgem de falhas no neurodesenvolvimento, seja por conta da genética — como a dislexia, que costuma ser hereditária —, seja por algum problema nas estruturas cerebrais que dificultam o processamento de informações.

Dificuldade de aprendizagem

Já as dificuldades de aprendizagem, embora tenham em comum o comprometimento no rendimento da rotina de estudos, não são de origem biológica, mas fruto de fatores externos.

Entram em jogo conflitos familiares, abusos na infância, qualidade da nutrição, mudança de cidade etc. Ou seja, algum gatilho de origem não orgânica faz com que a criança passe por um estresse significativo, e isso leva a apresentar dificuldades ou bloqueios no processo escolar.

Outra grande diferença entre transtornos e dificuldades de aprendizagem é que, nesse último caso, a situação pode ser passageira se a causa for solucionada. Já os transtornos podem ser tratados e terem os efeitos controlados, mas como são condições biológicas, dificilmente desaparecem por completo da vida da criança.

Como ajudar os filhos com transtornos ou dificuldades de aprendizagem?

Agora sim, a pergunta que não quer calar: como os pais podem ajudar os pequenos a lidar com esses problemas? Veja abaixo algumas dicas!

Tenha atenção aos sinais da criança

Seja um transtorno, seja uma dificuldade, o primeiro passo para ajudar a criança é identificar o problema. Fácil, né? Bom, nem tanto! Muitas vezes, os sintomas desses problemas podem passar despercebidos ou serem confundidos com mau comportamento.

No caso dos transtornos, é um pouco mais fácil reconhecer os sinais, uma vez que o comprometimento na aprendizagem costuma ser mais gritante em relação ao padrão esperado para a idade. Mesmo assim, não tem jeito: a solução é acompanhar de perto o desenvolvimento do pequeno na escola.

Evite brigar ou cobrar demais

Se a criança estiver com alguma dificuldade de aprendizagem ou um transtorno for diagnosticado, muita calma nessa hora! Nada de cobrar demais, brigar ou mostrar decepção. Isso só servirá para afetar a autoestima do seu filho e, talvez, comprometer ainda mais o desenvolvimento do pequeno.

Identifique como o seu filho aprende melhor

Brincadeiras, jogos, associações com a vida cotidiana, expressões artísticas, sempre tem um jeito de fazer a criança aprender melhor, mesmo quando ela tem transtornos ou dificuldades. A dica é tentar métodos diferentes em casa e, é claro, buscar escolas ou professores que com estrutura para acolher crianças com necessidades diferenciadas de aprendizado.

Desenvolva vínculos com a escola

Se acompanhar de perto a vida escolar da criança é obrigação de todos os pais, quando há um transtorno ou uma dificuldade de aprendizagem em jogo, então, essa necessidade é redobrada! Por isso, vale a pena desenvolver vínculos mais estreitos com a escola e com os professores para se manter a par do desenvolvimento do pequeno.

Capriche na organização dos estudos

Seja para driblar dificuldades no sono, na alimentação ou no comportamento, a santa organização já é uma velha conhecida e aliada das mamães de plantão. E olha só: ela também é bem-vinda na aprendizagem dos pequenos com transtornos ou dificuldades escolares.

Ter um cantinho só para os estudos em casa, estabelecer horários para fazer as lições com calma, ter cadernos personalizados com diferentes cores para cada matéria, fazer tabelas ou mapas mentais, tudo isso pode ajudar a criança a assimilar melhor os assuntos ou até mesmo a desenvolver mais foco na hora de estudar.

Trate as causas do problema

Por fim, no caso dos transtornos de aprendizagem, os tratamentos profissionais podem — e devem! — ser realizados pelas crianças. Muitas vezes são recomendadas intervenções fonoaudiológicas e psicopedagógicas que ajudam a minimizar um pouco as causas do problema.

As dificuldades, embora não sejam biológicas, também podem ser reduzidas ou até eliminadas com a identificação da causa. Por exemplo, se o pequeno passou a apresentar dificuldade de aprendizagem por conta da perda de alguém querido, lidar com o luto infantil da melhor forma pode ajudar a minimizar esse efeito mais rápido.

Por que é importante acompanhar a vida escolar dos filhos?

Agora, se você é do time que acha que problemas escolares só são responsabilidade da escola, volte dez casas! Como a gente viu, a criança precisa de um apoio amplo e, às vezes, até mesmo de intervenções terapêuticas para superar uma dificuldade de aprendizagem ou aprender a conviver com um transtorno.

Para que ela não tenha tantas consequências no desenvolvimento, quanto mais cedo esses problemas são identificados e abordados corretamente, melhor! Por isso, os pais devem sim participar ativamente da vida escolar dos pequenos.

Moral da história: não se envergonhe de ser a mãe maluca que marca reuniões com a diretora ou que olha os cadernos do pequeno todo santo dia. Esses são cuidados essenciais para melhorar as notas do pequeno na escola e identificar transtornos e dificuldades de aprendizagem e lidar com essas situações sem grandes prejuízos.

Quer aprender mais sobre o assunto? Então, leia também nosso post com as principais dúvidas sobre dificuldades de aprendizagem! Até mais!

Deixe um Comentário