was successfully added to your cart.

Aprenda agora como criar uma rotina alimentar ideal para crianças

rotina alimentar

Olá, mamãe! Tudo bem? Antes de qualquer coisa, responda uma coisa com sinceridade: seu filho se alimenta bem? “Não, ele só come bolacha”, “nossa, é uma luta todo dia na hora do almoço”, “imagina, tenho que fazer até malabarismo para que ele coma 3 colheradas”. Alguma dessas respostas parece com a sua? Temos a solução: uma rotina alimentar.

Construir bons hábitos alimentares desde cedo é a melhor maneira de garantir que seu filho seja saudável e que as refeições sejam mais tranquilas, sem tanto suor materno. E não é tão difícil assim: horários fixos, ambiente adequado e um planejamento dos pratos já faz toda a diferença na alimentação infantil.

Quer ver só? Então, acompanhe nossas dicas e aprenda a criar uma rotina alimentar para crianças!

Tenha horários para as refeições

O primeiro passo para criar uma rotina alimentar dos pequenos é estabelecer os horários para as refeições. Para isso, leve em conta os períodos de sono da criança e tente deixar pelo menos duas horas entre cada refeição, para que ela tenha apetite.

O motivo é muito simples: crianças só comem quando têm fome! Você já deve ter reparado que, se ela comer meia dúzia de bolachas fora de hora, pronto! Não há diálogo, chantagem ou súplica materna que fará o pequeno comer todo o prato de almoço, mesmo que seja sua receita preferida.

Então, pense nos hábitos da casa para dormir e acordar e tente distribuir as refeições principais — café da manhã, almoço e jantar —, além dos lanches intermediários. Olha só um exemplo de horários para a rotina de uma criança que tira apenas uma soneca depois do almoço:

  • 07h00: acordar;
  • 07h30: café da manhã;
  • 09h30: lanche da manhã;
  • 12h00: almoço;
  • 12h30 às 14h00: soneca;
  • 15h00: lanche da tarde;
  • 18h00: jantar;
  • 21h00: dormir.

Valorize o ambiente adequado

A gente adora comer assistindo televisão, não é? Esse é um hábito clássico dos adultos. Porém, para as crianças, não é nada saudável (aliás, nem para a gente, viu?). Ter uma fonte de distrações e estímulos bem ali, na frente dos olhos, faz com que a criança não preste atenção na comida e não mastigue direito.

Esse é um dos fatores que pode levar ao excesso de peso infantil. O pequeno simplesmente não se dá conta da quantidade de alimento ingerido, já que não desgruda da telinha. Isso pode fazer com que ele coma mais do que o necessário para saciar a fome.

Sem contar no vínculo familiar, que é fortemente reforçado quando todos dividem a mesa para um momento mais tranquilo, sem estímulos, apenas curtindo a companhia uns dos outros. Por isso, vale a pena educar os pequenos (e os grandes, também) que lugar de comer é na mesa.

Junte alimentação e diversão

Mesmo seguindo os horários que você estabeleceu, a criança ainda não está lá muito interessada pela refeição? Então, vamos fazer a “hora do papá” se tornar uma brincadeira divertida! Resgate a criatividade lá da sua época de criança e faça pequenas obras de arte no prato.

Rostos com cabelo de macarrão, florestas de couve-flor e sanduíches no formato de coelho podem divertir toda a família — e o melhor, fazer o pequeno comer tudo! Afinal, aquela frase famosíssima não circula por aí à toa: a gente come primeiro com os olhos.

Outra dica é trazer os pequenos para a cozinha para que eles vejam como são feitos os preparos. Os maiorzinhos podem até ajudar com pequenas tarefas, como lavar folhas e estender a toalha na mesa, por exemplo. Isso ajudará a criar um interesse maior pela alimentação.

Atente à quantidade de comida

“A última, filho, prometo!” — já falou algo parecido? Nós, mães, temos muita coisa em comum, e uma delas é a luta diária por “só mais uma colherada”. Essa preocupação é mesmo importante, já que os pequenos precisam comer o suficiente para que fiquem com todos os nutrientes em dia.

Porém, se você encher demais o prato da criança, vai ter a impressão de que ela comeu muito pouco quando quiser parar e ainda tiver metade lá. O resultado? Todas as artimanhas possíveis para que ela coma mais, o que gera cansaço e frustração, para os dois lados.

Com isso, o pequeno pode até mesmo criar um certo trauma da hora da refeição. Portanto, vale a pena equilibrar as porções e não forçar a criança a comer mais do que ela aceita. Se ela está se desenvolvendo bem e todos os exames estão dentro da normalidade, não há com o que se preocupar.

Dê o exemplo

Os pais não sentam para comer na mesa, detestam legumes e comem doces na hora do almoço? É lógico que, de vez em quando, não faz mal: ninguém é de ferro! Mas essas situações devem ser exceções, pois as crianças aprendem tudo o que veem.

Para ter uma rotina alimentar infantil, os pais devem dar o exemplo de hábitos saudáveis. Inclusive, evitando comer na sala e dando mais uma chance ao brócolis. Aquele papo de “faça o que eu digo, não faça o que eu faço” não cola com os pequenos.

Crie um cardápio para a semana

Por fim, nossa última dica é criar um cardápio semanal, um recurso que facilita muito a manutenção da rotina alimentar. Primeiro porque ajuda com a organização do dia a dia, então, as chances de atrasar as refeições ou partir para o fast food porque você esqueceu de ir ao mercado diminuem.

Além disso, o cardápio ajuda a ter refeições com mais qualidade. Quando você vê todo o planejamento semanal ali na sua frente, começa a perceber se está repetindo muito algum ingrediente e esquecendo completamente de outros. Isso também ajuda a montar lancheiras saudáveis para mandar para a escola.

Ou seja, dá para equilibrar mais a nutrição com uma distribuição semanal de variadas frutas, legumes, proteínas etc. Assim, a criança também tem contato com alimentos diferentes e expande o paladar para além do prato preferido. Tudo de bom, né?

Agora, para colocar essas dicas em prática, nada melhor do que contar com ferramentas de organização, como um planejador de refeições. Fica muito mais fácil engajar a família na rotina alimentar se há um quadro, ali na porta da geladeira, com o cardápio da semana e uma lista de compras do lado.

Parece bom demais para ser verdade? Sim! Mas o imã planejador de refeições é real e ainda vai personalizado com o nome da criança. Que tal encomendar o seu ainda hoje?

Deixe um Comentário