was successfully added to your cart.

Entenda a importância da alimentação durante a amamentação

alimentação durante a amamentação

Olá, mamãe! Vamos falar de aleitamento materno? Esse é um período muito importante para você e para o bebê, pois cria um laço único. Além disso, o leite é a fonte de nutrição para que o pequeno fique saudável. Mas sabia que a alimentação durante a amamentação também merece sua atenção?

O que colocamos no prato nessa fase influencia a produção do nosso leite e até em como o filhote vai se sentir. Então, nada melhor do que conhecer o que pode e o que não pode nesse momento, não é mesmo?

Para que você não tenha dúvidas, trouxemos dicas de como se alimentar para cuidar do recém-nascido do melhor jeito. Confira!

Qual é a importância da alimentação durante a amamentação?

Parece ser muito difícil comer direito logo após dar à luz, não é mesmo? A rotina do sono ainda é um caos e você está exausta. Sentar à mesa e fazer uma boa refeição soa como um plano distante — para quando o filho estiver na escolinha.

Porém, é preciso vencer o cansaço e cuidar dessa parte do seu cotidiano. Isso fará bem para você e para a cria e, acredite, vai melhorar a sua rotina. Descubra a relevância da alimentação durante a amamentação!

Traz mais proteção à saúde materna

Uma boa alimentação é necessária em qualquer fase da vida. Mas na amamentação ela se torna indispensável porque você será a responsável por uma das tarefas mais importantes da vida: a produção para o bebê.

O seu leite é um grande responsável pelo desenvolvimento infantil. Durante a produção, o seu corpo vai usar os nutrientes necessários como “combustível”. Portanto, a alimentação serve para repor esses elementos e garantir eles estejam disponíveis para a produção.

Evita problemas na barriguinha do pequeno

Nos primeiros seis meses, a criança deve consumir apenas o leite materno. Então, qualquer probleminha vai afetar o organismo que está em desenvolvimento, certo?

Afinal, se o seu leite estiver com bastante “fermentação”, isso vai causar gases e aquela dor que causa choro no filhote. Então, uma boa alimentação ajuda a evitar a temida cólica e outros problemas na barriguinha.

Favorece a produção do alimento

Quando você come bem, na hora certa e com qualidade, o seu corpo tem a energia necessária para produzir o leite. Acredite, o processo consome bastante do organismo, e é por isso que é normal se sentir cansada, como se tivesse corrido uma maratona.

Ao garantir tudo que é exigido para essa produção, dá para garantir uma enxurrada de leite, para que o pequeno possa se alimentar sempre que quiser.

Pode fazer dieta durante essa fase?

Vamos falar a verdade: muitas de nós, após darmos à luz, queremos voltar à forma de antes da gravidez, certo? Então, é normal sentir que é necessário começar a fazer dieta para, finalmente, eliminar os quilos a mais.

Mas antes de embarcar nessa jornada, é essencial entender que esse é um período que exige bastante energia do corpo. Seu organismo precisa de tudo o que puder usar para fabricar esse alimento de modo adequado para o seu bebê.

Se quiser amamentar do jeito certo, o ideal é evitar dietas restritivas. Faça escolhas melhores, por você e pelo seu bebê, mas tente não restringir as calorias. O processo é tão intenso que seu metabolismo vai ficar acelerado e vai perder peso só de dar o peito para o pequeno.

Em vez de embarcar em uma dieta, é melhor ter uma rotina saudável. Faça atividades físicas leves (como caminhadas com o bebê durante a manhã) e você verá como os resultados vão aparecer. Mas atenção: sempre fale com o seu médico para saber o que é ideal para o seu corpo, ok?

Quais são os alimentos recomendados?

Fazer escolhas saudáveis é uma ótima forma de turbinar a amamentação. Ao selecionar o que vai ao nosso prato, podemos estimular a produção de leite e conquistar os melhores resultados.

Então, chegou a hora de ver quais são os alimentos que devem sair do supermercado para o seu prato!

Frutas variadas

As frutas serão suas grandes aliadas no dia a dia corrido. Fáceis de comer entre uma refeição e outra, oferecem nutrientes e líquidos. O melhor é consumi-las ao natural, mas você também pode apostar em sucos e smoothies bem cremosos. Que tal?

Legumes e verduras

Os legumes e as verduras trazem diversos nutrientes, como cálcio, magnésio e vitaminas de A a K. Montar pratos coloridos e repletos de folhas e rodelas é essencial para se alimentar corretamente. Como bônus, é um hábito que ajuda a emagrecer e retornar ao corpinho!

Carnes magras

A proteína é muito importante para o corpo aguentar o tranco da produção de leite sem parar. Nesse caso, as carnes magras devem ter sua preferência! Frango, cortes magros de carne vermelha e peixe são as melhores opções para fornecer isso ao organismo.

Laticínios

Ironicamente, para produzir leite, temos que consumir leite. Os produtos como iogurte, queijo e outros derivados são indispensáveis nesse período. Mas fique de olho: em alguns casos, é preciso cortar o de vaca. Nesses casos, basta recorrer às alternativas feitas sem lactose.

Água (e outros líquidos)

Um dos componentes essenciais para a alimentação durante a amamentação é a água. Quanto mais líquidos você consumir, mais leite vai produzir. Então, para que a produção continue, beba bastante água. Também vale se hidratar com outras fontes, como chás e sucos.

Quais alimentos devem ser evitados?

Se existem os ingredientes que fazem bem para o aleitamento, há aqueles que prejudicam o processo. Conhecer o que deve ser evitado no prato é a melhor maneira de impedir problemas depois, não é mesmo?

Para não ter dificuldades na hora de fazer as escolhas, veja do que passar longe nesse período!

Alimentos que fermentam

Alguns alimentos fermentam durante a digestão e causam gases. Como é algo que passa para o leite, o pequeno pode sofrer com cólicas. Para impedir que sua noite seja repleta de chororô, evite comer repolho, brócolis e leguminosas, como o feijão. O ovo deve ser consumido com moderação, ok? Além disso, não misture carboidratos (como arroz, batata e massas), pois a combinação é uma bomba fermentada.

Embutidos

Os embutidos são ultraprocessados e têm muito sódio, várias gorduras e aditivos considerados ruins. Péssimo, né? O melhor é evitar presunto, mortadela, salame, salsicha e linguiça, entre outros alimentos, em excesso. Fique de olho!

Frituras

As frituras também não são grandes aliadas. Elas vão deixar seu corpo mais preguiçoso e não são realmente nutritivas. Fuja do fast food, dos salgadinhos e de outras frituras que parecem deliciosas, mas que têm impactos pouco positivos.

Doces

O excesso de açúcar aumenta os riscos de engordar e afeta o sabor do seu leite. Isso pode tornar a criança “viciada” em doces quando tiver idade para comer, o que não é bom para a saúde. Se não puder evitar, consuma com moderação, do chocolate às sobremesas elaboradas.

Estimulantes

Alimentos à base de cafeína são vilões do sono do pequeno que, muitas vezes, já não é lá essas coisas. Para que o bebê não fique agitado, não consuma grandes quantidades de café, chá-preto ou verde, refrigerante e assim por diante.

Também é bom ficar de olho no comportamento do filhote. Comeu algo que parece não ter caído bem para a criança? O choro se intensificou após você comer algo diferente? Vale repensar a escolha do alimento para garantir mais conforto. Além disso, se ele tiver alguma alergia, como à proteína do leite, é melhor evitar o consumo.

O leite pode ser fraco por causa da alimentação?

Uma das maiores dúvidas sobre alimentação durante a amamentação é se as decisões ruins podem tornar o leite “fraco”. A verdade é que seu corpo sempre produz o alimento mais rico e completo, com todos os nutrientes necessários. Então, saiba que a sua produção sempre vai ser “forte” e adequada para o desenvolvimento do bebê.

Mesmo mães desnutridas são capazes de oferecer um leite forte. Isso é possível porque o organismo tem um mecanismo que compensa o que não é obtido na alimentação. Então, se não consumir certos nutrientes, ele vai tirar do seu “estoque” do corpo para criar a fórmula perfeita.

O único problema é que uma alimentação ruim, normalmente, diminui a quantidade de leite produzido. Então, isso pode forçá-la a parar de amamentar antes do tempo — o que não é bom, né?

Quais os benefícios de uma boa alimentação durante a amamentação?

Fazer as escolhas certas à mesa faz toda a diferença para a amamentação. Ao consumir os alimentos certos, você vai produzir mais leite e ter momentos ainda melhores com o pequeno.

Se precisar de uma dose extra de motivação para cuidar da alimentação, aqui estamos! Veja quais são os maiores benefícios de ter bons pratos nesse período.

Noites mais tranquilas

Evitar os alimentos que fermentam e os que não fazem bem para o pequeno é uma decisão essencial para ter noites tranquilas. Depois de mamar, o filhote poderá dormir com a barriguinha cheia e com muito conforto.

Essa atenção é indispensável para impedir cólicas, enjoos e até refluxo. Sua sanidade e o seu sono agradecem por não terem que lidar com um bebê que está desconfortável ou com dor.

Proteção contra alergias alimentares

Cuidar do seu leite também ajuda a impedir que o pequeno tenha algumas alergias alimentares — ao menos, é o que dizem os pesquisadores do Hospital Humber River, em Ontário. Consumir amendoim, por exemplo, diminui os riscos que seu filho fique sensibilizado pelo componente mais tarde.

Então, uma dieta rica e com vários nutrientes “apresenta” as substâncias ao corpo do bebê e evita que ele estranhe mais tarde. Assim, é uma ótima forma de prevenir alergias.

Desenvolvimento saudável do bebê

Você já sabe que seu leite sempre tem as características certas para fazer a criança crescer e se fortalecer. Mas sabia que algumas escolhas ajudam o desenvolvimento de outros jeitos, além da nutrição?

O aroma de muitos alimentos passa para o leite e cria uma experiência sensorial para o pequeno. Segundo pesquisadores, as crianças que foram amamentadas ficam mais dispostas a experimentar novos alimentos e a comer de forma saudável. Isso é possível pelo desenvolvimento do paladar e vai ter impactos enormes na vida da criança!

Quais são os mitos e verdades da alimentação durante a amamentação?

O fato é que a amamentação ainda é um tema que cria diversos mitos. Ao falar da alimentação da mãe, não é diferente. Em vez de apenas acreditar no que dizem, é preciso saber o que há por trás de cada afirmação.

Então, chegou a hora de esclarecer todas as dúvidas que faltam e desvendar o que é verdade e o que é mentira!

“Não há problemas em consumir bebidas alcoólicas”

Mito. Assim como na gravidez, não é recomendado consumir bebidas alcoólicas durante a amamentação porque isso, sim, pode afetar o leite. Uma taça de vinho, provavelmente, não terá grandes impactos, mas o excesso é prejudicial. O melhor mesmo é evitar ao longo do período, mas não deixe de conversar com o seu médico para ver o que ele recomenda.

“É preciso tomar vitaminas e suplementos”

Nem sempre. Não é porque a amamentação exige mais do corpo que você vai precisar suplementar a sua alimentação. Com escolhas adequadas no prato, já é possível conquistar a maioria dos nutrientes. Mas, novamente, só o seu médico pode indicar se é necessário recorrer às vitaminas.

“As escolhas alimentares da mamãe influenciam no paladar do bebê”

Verdade. Como dissemos, o leite materno tem algumas variações de sabor, dependendo do que a mãe come. Então, ele é fundamental para desenvolver o paladar do bebê e fazer com que o seu pequeno coma de tudo quando estiver mais velho!

“A mãe não pode comer mais que antes da gravidez”

Mito. Aquele desejo de emagrecer faz com que muitas mamães tenham medo de comer porções maiores durante o aleitamento. Porém, você tem que se lembrar de que o corpo consome mais energia e precisa repor. Só fique de olho porque comer bem não é o mesmo que comer em excesso. As escolhas devem ser balanceadas, para que tudo saia como o esperado.

A nossa alimentação durante a amamentação tem total influência no desenvolvimento da cria — inclusive, em longo prazo. Que responsabilidade, hein? Então, vale a pena ficar de olho nas escolhas para garantir que elas sejam boas para você e para o pequeno!

Essas informações foram úteis? Então, compartilhe o post nas suas redes sociais e marque as amigas que estão amamentando ou que vão entrar nessa fase!

Deixe um Comentário