was successfully added to your cart.

Segundo filho costuma ser mais rebelde: saiba como lidar com isso

segundo filho

Olá, mamães, tudo bem? Já percebeu que, geralmente, o segundo filho é mais rebelde e atrevido que o primeiro? É comum as pessoas acharem que é mimo demais por parte dos pais, mas será que é isso mesmo?

Um estudo, realizado por 3 pesquisadores internacionais, afirma que a ordem de nascimento dos filhos influencia a sua personalidade. A partir dai, foram descobertos diversos fatores que podem determinar essa questão.

Ficou curiosa para saber o que nascer em segundo lugar tem a ver com as travessuras do seu filho? Então, continue a leitura, pois esse é o assunto deste post. Veja só!

O que diz a pesquisa sobre o segundo filho?

O primeiro filho é obediente e responsável, uma gracinha de criança. Então, quando vem o segundo, as pessoas começam a ser inconvenientes com frases do tipo “se o primeiro é quietinho, se prepara que o próximo vai ser arteiro”, “ninguém dá sorte de ter filho bonzinho duas vezes, se cuida”. Reconhece essa cena?

Isso é mais comum do que você imagina! A verdade é que, realmente, o segundo filho costuma ser mais levado que o primeiro. Não somos nós que dizemos isso, é a ciência que comprova! Mas o que as pesquisas mostram?

O estudo

A pesquisa é recente, feita em 2017, com mais de 2 milhões de crianças americanas e dinamarquesas. Uma amostra com um bom número, não é mesmo? A intenção era saber como a ordem do nascimento afeta nos problemas disciplinares, na escola e na delinquência juvenil, além de descobrir se isso contribui para o crime adulto.

O resultado

Depois de observar as crianças, os pesquisadores chegaram aos seguintes resultados:

  • o segundo filho tem maior probabilidade de ser rebelde que o primeiro;
  • no sexo feminino, essa característica não é tão marcante;
  • não há evidências que os pais invistam menos na educação do segundo filho.

A conclusão

Os estudiosos chegaram à conclusão que a diferença de comportamento entre o primeiro e o segundo filho pode se dar por conta do tempo em que os pais passam com eles. Enquanto o primogênito tem atenção exclusiva durante um tempo, o caçula já nasce com ela dividida.

O que muda na criação dos pais do primeiro para o segundo filho?

Bom, agora que já sabemos que as travessuras do caçula são cientificamente comprovadas e não apenas “achismos” do povo, está na hora de identificar quais são as diferenças na criação de um e de outro filho que determinam esse traço da personalidade da criança.

Antes de continuarmos, é preciso dizer para que você não se sinta culpada pela rebeldia do seu filho. O sentimento de culpa sempre surge quando falamos dos pequenos, mas é óbvio que nenhum pai tem a intenção de desenvolver um lado rebelde na criança, concorda? Então, fique tranquila que o atrevimento tem solução.

Primeiro filho

Com o primeiro filho, tudo é novidade para os pais. Com isso, vem a insegurança. Quando começa a introdução alimentar, ficamos atentos para o bebê não engasgar. Ao vê-lo sentar, nossas mãos ficam em volta para qualquer balançada não levar a um tombo. E quando andam, então? Nosso coração sai pela boca a cada tropeço.

É normal querer ficar o tempo todo com a cria nessa fase, registrando todo o seu desenvolvimento e dando o suporte que julgamos necessário. Resumindo, ficamos em cima da criança e somos mais rígidos com ela.

Segundo filho

Já com o segundo filho, a nossa experiência nos deixa mais à vontade. Aquela preocupação e medo ficam mais brandos, o que dá liberdade para os pequenos se sentirem mais ousados e seguros para experimentarem coisas novas.

Soma-se a isso o fato de que não temos mais tanto tempo disponível. A atenção, que antes era só de um filho, divide-se para dois. Ou seja, com os pais pegando menos no pé, a criança se atreve mais a desbravar o mundo.

Veja bem, não estamos dizendo que os pais se importam menos com o segundo filho. A verdade é que ficamos mais relaxados, e isso abre uma brecha que o irmão mais velho não teve e que é aproveitada pelo pequeno para ter a sua liberdade.

Como lidar com a rebeldia do segundo filho?

Devemos lembrar que criar um filho não é uma receita de bolo, em que fazemos tudo com a medida pedida e dá certo. Aliás, nem mesmo o bolo sai igual todas as vezes, pois exitem muitas variáveis que influenciam a receita.

Brincadeiras e comparações à parte, o que queremos dizer é que cada filho é um ser único, o que envolve suas particularidades e a forma como ele vê o mundo, independentemente da maneira como foi criado.

A criação influencia? Claro! Mas não é o único fator importante. Não podemos ignorar a personalidade do pequeno. Com isso, temos que adaptar o nosso modo de lidar com cada filho. Dito isso, vamos às dicas?

Passe mais tempo de qualidade com as crianças

Reveja como está a sua atenção com os pequenos. Você tem passado algum tempo com seus filhos? Com a rotina pesada e a correria, temos cada vez menos chances de estar com eles. Por isso, os momentos que temos com as crianças devem ser de qualidade. Além de proporcionar atividades que incluam todos, reserve também um tempinho para que cada filho possa desfrutar da sua atenção em particular.

Mantenha o diálogo

Conversar é sempre o melhor caminho. Gritar ou dar ordens sem nenhuma explicação não surte efeito. Portanto, antes de se estressar durante uma birra, ou depois de ver a “arte” do pequeno rebelde, respire, conte até 10 e tente ter uma conversa em que você escute as razões dele para fazer aquilo e explique os motivos da atitude não ser correta.

Use o reforço positivo

Você também elogia o seu filho quando ele faz algo certo ou é do tipo de mãe que apenas repreende as travessuras? Se a resposta for a segunda, saiba que isso pode estimular a rebeldia. Já parou para pensar que ele apronta para chamar a sua atenção, pois somente assim consegue um pouco do seu tempo, mesmo que de forma negativa?

Sabendo disso, aproveite para incentivá-lo a ter boas atitudes. Não precisa bater palmas para tudo, apenas condicioná-lo a ver que as atitudes têm consequências. Faça o seu filho enxergar o quanto é legal ser obediente.

Como vimos, é bem comum o segundo filho ser mais rebelde, e isso não tem a ver com ser mimado ou mal-educado. No entanto, é preciso ter cuidado com a criação para que a ousadia não passe dos limites e se torne um problema.

Além de rebelde, seu filho apresenta comportamento agressivo? Você sabe como lidar com isso? Então, aproveite que está por aqui, leia o nosso artigo que fala sobre o assunto e descubra!

Deixe um Comentário