Já identificou seu material escolar? Nós podemos te ajudar ;-)

Como escolher uma escola para o seu filho

Atualmente, as opções são tantas que saber como escolher uma escola para as crianças acaba se tornando complicado.

Desse modo, o ideal é que os pais comecem suas buscas com certa antecedência, pois o processo vai exigir calma, uma vez que as ponderações sobre pontos específicos serão muitas.

Partindo disso, ao escolher uma escola os pais devem levar em conta os aspectos que consideram primordiais em uma instituição de ensino, mas também aqueles que são aceitáveis e os que são inadmissíveis – nessa ordem.

Sendo assim, listar o que se encaixa em cada uma dessas classificações pessoais pode ser o primeiro passo. Então, comece anotando esses pontos.

Como escolher a escola pelo modelo de educação

Esse é um dos aspectos essenciais, pois nem toda escola é adequada para determinados perfis de alunos.

Nunca considere que o renome de uma instituição de ensino é suficiente para garantir que o modelo de educação atenda ao que você busca – e o seu filho precisa.

Nesse contexto, observe:

  • Valores e princípios promovidos pela escola;
  • Como alguns temas são abordados: educação sexual, religião, etc.;
  • Como a escola trata assuntos amplos como: sustentabilidade, respeito à inclusão, tolerância à diversidade, etc.
  • Média mínima exigida para passar de ano;
  • Quanto às atividades esportivas e extracurriculares, quais são as opções e horários;
  • Como a escola faz a mediação de conflitos entre alunos;
  • Quão acessível a escola é para os pais, além das reuniões.

O modelo educacional de uma escola deve estar presente dentro do PPP – Projeto Político Pedagógico. Analisando com cuidado, os pais podem evitar transtornos no decorrer dos anos.

A proposta pedagógica

A maneira como os pais observam o mundo e o quanto disso desejam repassar aos filhos tem relação com a escolha da escola. Isso porque a proposta pedagógica vai refletir o que será ensinado e a maneira como isso será feito.

Os pais podem analisar o seguinte:

  • Como a escola interpreta o desenvolvimento dos alunos;
  • Observe se os brinquedos disponíveis são só os famosos ou que estão na moda;
  • Veja se há brinquedos ou itens artesanais feitos pelas crianças;
  • Note se existe realmente incentivo à leitura, como rodas para contar histórias;
  • Olhe se as opções de livros tem um acervo diversificado ou só aqueles com personagens famosos;
  • Se houver TV, questione qual é o uso específico dela. A ideia é entender se ela fica ligada e faz a função de “cuidar” das crianças por horas.

Como escolher uma escola com base na qualidade de ensino

Apesar de existir um ranking das escolas feito pelo MEC – Ministério da Educação, ele não deve ser a única avaliação considerada pelos pais ao escolher uma escola para seus filhos.

Outros aspectos podem ser observados como:

  • Grade escolar diversificada;
  • Aulas direcionadas às artes, música e esportes alternativos;
  • Formação e qualificações dos professores;
  • Se há incentivo para formação continuada dos professores;
  • Como a escola utiliza os recursos tecnológicos para aulas;
  • Como os professores estimulam a interação entre os alunos – debates, forma como grupos de estudos são formados, etc.;
  • De que forma a escola lida com as dificuldades de aprendizado;
  • Se a escola é hibrida, mesclando estudo presencial e online;
  • Qual é o material didático e como o conteúdo será trabalhado.

Ainda pensando em analisar a qualidade de ensino, é importante que os pais conversem com outras famílias, e dependendo da faixa etária, até mesmo com os próprios alunos para entender se eles se sentem motivados com a didática das aulas.

Além disso, o ambiente deve ser acolhedor por todos os funcionários da escola, desde a portaria até a direção.

Como escolher uma escola pensando nas instalações e infraestrutura

É sempre importante que a escola tenha um amplo espaço para receber os alunos, mas isso não é tudo.

As instalações devem ser bem planejadas, de modo que todo o espaço seja bem aproveitado no sentido de oferecer ambientes com infraestrutura adequada para todos os alunos, incluindo aqueles que tenham mobilidade reduzida.

Dessa forma, observe os seguintes pontos:

  • Arquitetura dos banheiros e a quantidade deles;
  • Localização de lavabos e bebedouros;
  • Decoração dos ambientes;
  • Tamanho das quadras de esportes e outras áreas de convivência;
  • Acessibilidade;
  • Divisão dos espaços;
  • Como é a cozinha e o ambiente destinado às refeições;
  • Quantidade e tamanho das salas de aulas;
  • Presença ou não de ambulatório;
  • Se há áreas externas com jardins e animais – mascotes;
  • Design e arquitetura de brinquedos externos e internos;
  • Manutenção dos espaços.

Pode não parecer, mas o tipo de imóvel e suas instalações contam no processo de educar.

Sendo assim, o espaço físico escolar não é neutro, e seja ele um prédio ou uma casa, deve comprovar que a promessa verbal das atividades se cumpre na prática dentro dele.

Salas de aula

Basicamente, as salas de aulas devem ser confortáveis, ter boa luminosidade, ser bem arejada e ter qualidade acústica adequada.  

Soma-se a isso outros recursos de mídia que apoiem as aulas e um local apropriado para a guarda de pertences.

Com relação ao aparato tecnológico, dependendo da faixa etária, uma grande quantidade de recursos dessa natureza não é essencial, mas para algumas famílias isso tem maior peso e para outras não.

Quanto tempo a criança ficará na escola

Na maioria das escolas as crianças ficam em turnos que são divididos em: integral, semi-integral, meio período e flexível.

Dessa forma, avaliar a estrutura também tem a ver com a quantidade de tempo que a criança ficará sob os cuidados da escola.

Ambientes diversificados e atividades extracurriculares vão muito bem para quem ficará longos períodos. Por outro lado, para crianças que ficarão apenas meio período, nem todas as instalações serão utilizadas.

Considere a autonomia da criança

Outro ponto que deve ser considerado é o nível de autonomia em relação às necessidades da criança:

  • Ainda usa fralda ou está na fase do desfralde?
  • Precisa de alimentação especial?
  • Se alimenta por conta própria?
  • Faz uso de medicações?
  • Possui alguma alergia?
  • Precisa de sonecas diárias?
  • Como funciona o processo de adaptação?

A infraestrutura necessária deve atender as necessidades da criança em primeiro lugar, mas isso não deve ser avaliado de maneira isolada.

No futuro, essas necessidades vão mudar e a escola deve atender bem as novas demandas do seu filho.

Por fim, o espaço físico deve estar em alinhamento com a proposta pedagógica, abrigando os recursos adequados para a aplicação prática das atividades previstas.

Como escolher uma escola considerando a localização e segurança

Sabemos que atualmente muitos pais precisam conciliar os horários escolares com seus horários de trabalho. Contudo, a localização da escola deve ser analisada levando em conta, sobretudo, o estudante.

Isso porque escolas que ficam muito longe de casa, tendem a cansar as crianças e adolescentes no percurso – e isso pode se refletir no rendimento escolar.

Lembre-se de como seus filhos se comportam quando estão estressados ou com baixo nível energia.

Porém, ao escolher uma escola não pense que apenas as mais próximas de casa são ideais.

No cenário perfeito os pais encontram um local que é de fácil acesso para quem for levar e buscar a criança, e tem uma distância razoável.

Ao escolher uma escola seja minucioso quanto à segurança

Esse é um dos pontos de maior importância, pois você deixará seu filho em outro local sob os cuidados de muitas outras pessoas.

Nesse contexto, observe minuciosamente o padrão de segurança da escola em todos os aspectos possíveis, mas sobretudo nesses:

  • Acesso de terceiros e estranhos;
  • Acesso dos pais ou responsáveis;
  • Procedimentos para entrada e saída dos alunos;
  • Tipos de uniformes;
  • Presença e validade de extintores de incêndio;
  • Periodicidade de dedetização;
  • Padrões de segurança alimentar;
  • Padrões de higiene para alunos e colaboradores;
  • Adaptação de espaços e mobílias para uso seguro das crianças;
  • Presença ou não de câmeras de segurança;
  • Acesso dos pais às câmeras mesmo a distância;
  • Procedimentos para o caso de amparo médico;

Realize a visita na escola sempre durante o período letivo. Analise como é a interação dos funcionários com os alunos, e note as expressões dos estudantes – se é positiva ou não.

Por fim, antes de “bater o martelo”, leve a criança com você e veja como ela reage aos ambientes, afinal será ela quem vai permanecer por lá e precisa sentir-se confortável.

Esperamos que este conteúdo possa servir como um guia para que pais e responsáveis tenham mais clareza quanto ao que precisam avaliar no momento de escolher uma escola para seus filhos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading